governo sao paulo
  • portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Linha do Tempo

Cronologia: Conheça a trajetória, os desafios e realizações de um dos maiores pintores brasileiros de todos os tempos, e as principais fases de sua vida e carreira. Clique no título ou nas imagens de cada período para ler na íntegra.

Cronologia: Candido Portinari

De-1903-a-1918-linha-do-tempo

De 1903 a 1918

“Nasci numa fazenda de café. Meus pais trabalhavam na terra… Mudaram-se da fazenda Santa Rosa para a estação de Brodósqui – onde não havia ainda povoado; eu devia ter dois anos de idade.”

borda (1)

De-1922-a-1929De 1922 a 1929

Participa do Salão da Escola Nacional de Belas Artes (RJ), primeira viagem à Europa.

borda (1)

De-1930-a-1934De 1930 a 1934

Na Europa, Portinari vai diariamente aos museus, descobre a pintura moderna da Escola de Paris, discute sobre arte nos cafés e não tem quase nenhum tempo para pintar. Conhece Maria Martinelli, com quem se casa.

borda (1)

De-1935-a-1939De 1935 a 1939

De volta ao Brasil, leciona pintura mural e de cavalete na Universidade do Rio de Janeiro. Participa da exposição Internacional do Instituto Carnegie (EUA). Realiza o primeiro mural, trabalhos para o Ministério da Educação, Feira Mundial de Nova York. Nasce seu único filho, João Cândido…

borda (1)

De-1940-a-1945De 1940 a 1945

Exposição de Arte Latino-Americana no Museu Riverside (Nova York). Sucesso em Detroit e no Moma de Nova York. Publicação do primeiro livro sobre Portinari, editora da Universidade de Chicago. Começa a pintar a “Capela da Nonna”…

borda (1)

De-1946-a-1949De 1946 a 1949

Expõe na Galeria Charpentier, em Paris. Candidato a senador, em São Paulo, pelo Partido Comunista. Exposição individual em Buenos Aires (Argentina) e Montevidéu (Uruguai). Pinta o Mural “Tiradentes”.

borda (1)

De-1950-a-1957De 1950 a 1957

XXV Bienal de Veneza (Itália). Medalha de Ouro da Paz do Congresso Mundial dos Partidários da Paz, em Varsóvia (Polônia). 1ª Bienal de São Paulo. Museu de Arte Moderna no Rio. Começa o espetacular “Guerra e Paz” para a sede da ONU, Nova York. “Estou proibido de viver”, protesta, aconselhado pelos médicos a não pintar temporariamente, por conta de sua intoxicação pelas tintas…

borda (1)

De-1958-a-1962De 1958 a 1962

Expõe na Galleria Del Libraio, em Bolonha (Itália), e na Galeria Wildenstein, em Nova York (EUA), além de Lima (Peru), Buenos Aires (Argentina), Tchecoslováquia, São Paulo e Rio. Em Moscou, expõe imagens de suas obras. Participa da 1ª Bienal do México e da Bienal de São Paulo e é jurado convidado na 2ª Bienal do México. Conquista a Estrela de Ouro em Bruxelas (Bélgica). Seu pai falece no Rio de Janeiro e seu casamento chega ao fim. Nasce sua neta Denise. Ilustra diversos livros estrangeiros. Viaja pela última vez à Europa. Morre Portinari…

borda (1)

Cronologia-Após-1962Cronologia Após 1962

O legado de Portinari: mostra no Palazzo Reale, Milão (Itália). Publicação do seu livro de poesias. Sua residência em Brodowski torna-se o “Museu Casa de Portinari”. Exposições e mostras realizadas no Brasil e exterior celebrando sua obra. Seu filho João Candido cria o Projeto Portinari. Comemoração dos 50 anos dos painéis “Guerra e Paz”, na ONU (Nova York), e os 40 anos do Museu Casa de Portinari, em Brodowski.