• portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Exposição Virtual “Coletiva de Artes Plásticas”

Caro visitante, bem-vindo a esta “festa” de expressão plástica, do olhar, da emoção, do prazer, dos sentidos… da A R T E – que potencializa o ser humano em sua humanidade, em sua mais pura e infinita essência e soberana condição de pensar e sentir a vida.

Na figura de Candido Portinari, um dos principais capítulos da Arte Brasileira, que constitui não só um patrimônio artístico-cultural, bem como histórico, social e político do Brasil e do povo brasileiro, em nome de quem realizamos este evento, homenageamos e saudamos todos os artistas plásticos, principalmente, os que participam desta exposição.

Há que se valorizar a produção artística, reconhecendo-se do artista o talento e a coragem de se expressar, da arte o valor em nossas vidas e a sua contribuição para o aprimoramento individual e coletivo. A arte acompanha a humanidade desde as cavernas, às vezes mais, outras, menos compreendida, vivenciada com muita ou pouca intensidade, o fato é que o fazer artístico, em suas mais variadas manifestações e expressões, faz parte do dia-a-dia de cada um, ajuda a construir a identidade cultural de um povo, de uma nação.

Esta Exposição Coletiva presta-se a um momento de integração da sociedade com os artistas e dos artistas entre si, não privilegia um gênero, tampouco contempla uma ou outra corrente, reúne as mais variadas técnicas, estilos e propostas, possibilitando uma ampla visão da arte em suas inúmeras possibilidades e linguagens plásticas de expressão.

A arte não conhece limites ou fronteiras, é um legítimo exercício de cidadania para o criador e para o espectador, ambos sujeitos no mesmo processo, onde a revelação é o denominador comum, pelo seu valor intrínseco nos atos de criar e apreciar.

Esta significativa reunião de artistas plásticos deixa sua contribuição na formação cultural, na descoberta e no exercício dos talentos, na enriquecedora convivência com a arte e, principalmente, na oportunidade do público travar contato com as mais variadas técnicas e estilos destes artistas que, usando de cores e formas, expressam o seu modo de ver o mundo, de perceber a vida, aguçam os nossos sentidos e fazem sentirmo-nos vivos.

Brodowski – Setembro | 2016
Angelica Policeno Fabbri
Museóloga
Diretora do Museu Casa de Portinari