• portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Ambientes do Museu

Conheça os ambientes do Museu Casa de Portinari em suas peculiaridades.

Ambientes do Museu: Conheça o Acervo

Planta do Museu Casa de Portinari

Planta do Museu Casa de Portinari

O acervo artístico do Museu Casa de Portinari constitui-se, principalmente, de trabalhos realizados pelo artista em pintura mural, nas técnicas de afresco e têmpera, nas paredes da casa. A temática é predominantemente sacra, exceto as primeiras experiências do artista neste gênero. O acervo também contempla uma coleção de desenhos, linguagem expressiva e significativa na produção de Candido Portinari, presente em todos os momentos de sua carreira.

O museu ainda abriga objetos de uso pessoal, mobiliário e utensílios da família, sendo que alguns cômodos permanecem com suas funções originais e outros foram adaptados para salas de exposições.

 *Clique na planta para ampliar

 

 

 

Sala São Jorge

 

Ao entrar na Casa de Portinari, logo no primeiro ambiente, encontra-se uma pintura mural à têmpera, São Jorge e o Dragão o estudo da obra e o poema com o mesmo título datado de 1958. No espaço, há também material de acessibilidade, uma maquete tátil apresenta os cômodos da casa e os detalhes da arquitetura do imóvel para o público cego ou com baixa visão.

Sala dos Desenhos

 

Conhecido por seus grandes murais e telas, vale ressaltar que Portinari também foi um excelente retratista. Era comum que ele fizesse os projetos e estudos de seus trabalhos. No conjunto de sua obra estão mais de 2.800 desenhos com uso de vários materiais: carvão, nanquim a bico de pena, nanquim a pincel, grafite, lápis de cor, crayon, guache e aquarela, sobre vários tipos de papel. No local, o Museu apresenta alguns deles, entre eles o retrato da socialite carioca Vera Velloso.

Sala dos Afrescos

 

No espaço, o público tem a chance de conhecer mais sobre as técnicas de pintura mural, principalmente o afresco, e as jornadas de trabalho realizadas pelo artista na execução das pinturas murais da casa.

Sala

 

A grande sala principal oferece ao visitante a dimensão do que ele irá encontrar pelos cômodos do imóvel construído no início do século 19. Com pinturas murais criadas por Portinari e por amigos, a casa serviu como suporte para as primeiras experimentações  do artista no gênero. O ambiente conserva também mobiliários da época, como a mesa de jantar, cadeiras, algumas louças, entre outros.

Cozinha

 

Como na maioria das famílias de origem italiana, a cozinha era o coração da casa, onde a família se reunia para refeições e conversas ao pé do fogão a lenha, com café e quitutes. Ela está mobiliada com utensílios originais, entre eles as cadeiras empalhadas pelo pai de Portinari, seu Batista.

A Casa como Tema

 

A casa, a cidade e as lembranças da infância foram temas recorrentes na obra de Portinari. Por meio de telas touch screen o público pode descobrir detalhes e conhecer um pouco mais da produção do artista.

O Pintor Candido Portinari

 

Do nascimento às grandes conquistas, a vida de Portinari é revelada ao público por meio de recursos multimídias. A linha do tempo, a mais completa apresentada até então, traz informações, documentos, fotos, áudios e reportagens sobre a vida e a carreira do pintor.

Edificação

 

Resultado de sucessivas reformas e ampliações coordenadas por Candido Portinari, a residência teve diferentes configurações enquanto serviu como moradia da família. No ambiente, uma maquete digital exibe as modificações da casa ao longo do tempo.

Ateliê

 

No ateliê, objetos de trabalho como tintas, pincéis, telas e cavaletes dividem o espaço com a pintura mural de técnica afresco “Fuga Para o Egito”.

Banheiros

 

Três cômodos foram construídos com essa finalidade. Detalhes curiosos sobre a edificação e também o gosto de seus moradores podem ser observados nos locais, por meio das soluções improvisadas para iluminação e ventilação em um deles, amplitude e conforto em outro, e pequenos requintes de decoração usando a pintura à estêncil.

Hall

 

A árvore genealógica Portinari revela ao público informações sobre os outros integrantes da família de imigrantes italianos.

Quarto das Irmãs

 

Bordados e rendas manuais eram comuns na época em que a família residiu no imóvel. No quarto estão alguns desses itens confeccionados pelas moradoras da casa, além da mobília original.

Quarto do Artista

 

No quarto do artista estão móveis, roupas, sapatos, malas e objetos de uso pessoal. Fotos ajudam a contar a história de Portinari.

Narrativas de uma Vida

 

No ambiente, o visitante ouve um texto de Portinari, narrado pelo ator Lima Duarte. O material revela as lembranças da vida na cidade, da saudade e do amor que o artista tinha por Brodowski. No chão, um mapa ajuda o público a localizar os lugares citados no áudio.

Capela da Nonna

 

Candido Portinari mandou construir, em 1940, uma capela ao lado da casa da avó Pelegrina, que por conta da idade e problemas de saúde  não conseguia se locomover até a igreja para orar. Nas paredes estão os santos prediletos da avó, retratados pelo artista com a fisionomia de amigos e parentes.

Jardins

 

Os jardins conservam elementos do tempo em que a família residia no imóvel. Os canteiros formando as palavras DIO (Deus em italiano) foram projetados por Portinari, as roseiras eram cuidadas com esmero por Dona Domingas (mãe do artista).

Igreja Santo Antonio

 

Em frente ao Museu Casa de Portinari, na praça Candido Portinari, encontra-se a Igreja Santo Antonio, para a qual Portinari fez uma pintura a óleo sobre tela do santo padroeiro, em cumprimento a uma promessa pelo restabelecimento da saúde de seu filho João Candido. A tela foi oferecida em caráter de doação à paróquia local no Domingo de Páscoa de 1942, sendo registrada no termo de doação a vontade do artista de que a obra nunca saísse da capela. Atualmente, a instituição cultural possui um termo de cooperação com a arquidiocese de Ribeirão Preto para efetuar ações preservacionistas na tela.