governo sao paulo
  • portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Conservação preventiva e integrada: os três tipos de acervo do Museu Casa de Portinari

O acervo do Museu Casa de Portinari é diferente dos encontrados na maioria das instituições, pois os elementos mais importantes da coleção estão integrados ao prédio que abriga o equipamento: os murais que o artista realizou nas paredes da sua residência familiar. Parte integrante da arquitetura – à ela destinada e por ela condicionada -, a produção requer visão e cuidados muito específicos.

Além dos murais, a arquitetura também é elemento expositivo por dois grandes aspectos. É a casa em que um grande artista viveu e trabalhou, além de representar a arquitetura típica da Itália produzida por uma, entre tantas, famílias de imigrantes que ajudaram a construir o Estado de São Paulo. O desafio maior da equipe é o de conduzir ao mesmo tempo essa função à de abrigo para a coleção, preservando o acervo e o edifício.

Os demais elementos assemelham-se aos mesmos cuidados tomados por outras casas-museu: são móveis e objetos de produção comum, destinados ao uso diário de uma família e, que por destinação, devem ter uma duração indefinidamente maior em boas condições de compreensão. Para este tipo de  elemento há mais referências na bibliografia e experiências no meio museológico.

Dessa forma, diferentemente dos demais museus, em que pode-se adequar o ambiente em favor das peças expostas, ou até mesmo mudá-las de ambiente ou de prédio, a Casa de Portinari enfrenta o desafio de preservar três grupos de bens culturais de natureza diferente.

A definição de uma política de preservação para uma coleção tão atípica foi o maior desafio do Plano de Conservação do Acervo, cuja implantação iniciou-se em 2011. Foram feitos estudos sobre o histórico, comportamentos e estado atuais dos murais, reunindo informações diversas sobre as várias décadas que o antecederam como residência de família, os registros coletados desde que se iniciou a sua conservação com critérios e recursos modernos, em 1989, e dados obtidos em exames e análises recentes.

Todos os bens móveis foram examinados e classificados individualmente pelo estado de conservação e urgência de ações conservativas. Analisou-se o comportamento ambiental das edificações e as suas implicações para a salvaguarda do acervo, e avaliou-se a sua própria estabilidade física.

Com base nos dados, foram inicialmente propostas soluções mais simples e imediatas, ao par da qualificação da equipe do museu para o cuidado e monitoramento diário de cada elemento do acervo e das condições de exposição e manutenção. As intervenções de manutenção ou restauro dos bens móveis foram programadas e iniciadas conforme o grau de urgência previamente estabelecido e os recursos humanos e financeiros disponíveis. Os murais receberam ações pontuais de prevenção e estabilização até a realização do grande restauro arquitetônico, de 2013 a 2014.

Simultaneamente ao rigoroso acompanhamento da restauração arquitetônica, pelos mesmos tmicas, ﷽﷽﷽adaçs cientnservaçnal a necessidade de dadao graud e urgtista viveu e trabalhou, como ao repreentar écnicos, os murais foram sendo restaurados conforme as áreas em que se situam foram estabilizadas. Uma nova abordagem foi dada ao conjunto, resgatando muito da autenticidade de cada mural e do contexto visual e histórico que o envolve. Novas pesquisas, oportunizadas pelas obras intensas, despertaram a necessidade de um projeto de restauro aprofundado da Capela da Nonna, atualmente em desenvolvimento.

Novos itens expositivos foram produzidos. Foi descoberto um mural até então inédito, resgatando e expondo evidências da vida passada da casa e da atividade de Portinari nela. Um item notável tem sido a associação das atividades de preservação com pesquisas científicas feitas em cooperação com entidades científicas e acadêmicas, integrando-a com a produção de conhecimentos pelo Museu.

Atualmente a atividade de conservação é pautada na opção fundamental pela conservação preventiva e integrada dos três diferentes tipos de bens componentes do acervo, aperfeiçoada continuamente junto com todos os aspectos que envolvem a vida na instituição.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*