governo sao paulo
  • portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Eletrodomésticos expostos novamente no Museu Casa de Portinari – a importância da Conservação Preventiva nas coleções museológicas

Três objetos da coleção do Museu Casa de Portinari que passaram por intervenções de conservação e restauro definidas pelo Plano de Conservação da instituição retornaram à exposição de longa duração. O chuveiro elétrico, liquidificador e máquina de fazer café são itens que, assim como as demais peças do acervo, auxiliam na reconstituição do contexto em que a casa do artista está inserida.

As peças não puderam ser expostas ao público durante a intervenção, que durou cerca de quatro meses. Elas estavam com desgastes naturais ocasionados pelo tempo, sujidades não passíveis de remoção por meio da limpeza comum, ou até mesmo com pequenos danos internos, muito provavelmente causados em decorrência do uso intenso da família, de acordo com o laudo técnico emitido pela consultoria técnica de conservação e restauro.

O chuveiro elétrico automático da marca “Fame”, com data provável da década de 1950, precisou ser removido do banheiro da área expositiva da casa, no qual estava instalado. Ele foi inteiramente desmontado e limpo de maneira profunda, tanto internamente quanto externamente. As manchas e excessos de solda foram removidos e processo de oxidação neutralizado. Em seguida, foi lustrado e recebeu uma camada de proteção superficial.

Já para o liquidificador, datado entre 1940 e 1950, foi necessária uma desmontagem parcial da peça para limpeza profunda interna e externa para remoção de sujidades e neutralização da oxidação. Foram reproduzidos e inseridos encaixes plásticos que o objeto não tinha mais, além da reinserção de um plugue autêntico. Para finalizar, a peça foi lustrada e recebeu também uma camada de proteção.

A máquina de fazer café expresso, da marca Faema, trazida da Itália por Portinari, é um dos objetos que mais atrai a atenção do público em meio aos utensílios da cozinha dos Portinari. Por ser bastante diferenciada para sua época – década de 1940 -, a peça maravilha os brodowskianos que visitavam a casa na época e, com certeza, causava espanto pela sua capacidade de otimizar intensamente o processo de preparação do café. Para estabilização dos componentes e reversão dos eventuais danos, mantendo-se, muito embora as principais marcas do tempo e de uso, foi limpa, teve neutralizadas as oxidações, lustrada e protegida por aplicação de camada de proteção.

Os objetos pertencem ao acervo do Museu desde sua abertura, em 1970, e já voltaram a estar disponíveis para apreciação do público em seus tradicionais locais de exposição na casa. Ações semelhantes a essa continuarão sendo desenvolvidas, visando a longevidade dos objetos da coleção da Casa de Portinari, bem como o melhor usufruto dos visitantes da instituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*